segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Teorias infundadas de uma Maria Dramática: Como deduzir o status da vida pessoal do dito cujo pelas redes sociais




Vou começar um tópico novo aqui no blog. Fundadas nas minhas teorias que não tem fundamento nenhum, mas que servem para dramatizar mais a minha vida. Ah! São apenas coisas de cabeça de mulher mesmo. Neuroses infundadas, historinhas que nos mesmos colocamos na nossa cabeça. 

A primeira teoria ensinará: Como deduzir o status da vida pessoal do dito cujo pelas redes sociais. Pode parecer confuso. Porque nas redes sociais já tem a opção para você definir o status relacionamento, mas como nem tudo é o que parece ser. Bem vocês entenderam mais adiante. Dividirei o assunto em casos.

Caso 1: Você conhece um dito cujo. Ele adiciona o seu perfil e seu status é solteiro.
Neste caso, ou ele acabou um relacionamento sério e está na fase de pegação, ou e daqueles que nunca vão sair dessa fase. A primeira é fácil de descobrir, converse com ele e descubra quando foi o ultimo relacionamento sério que teve.  Se for a muito tempo de um crédito para o dito cujo. Mas bem pouco, ainda falta muito para ele ter 100% de crédito. Agora se ele acabou um relacionamento sério há muito tempo não o leve tão a sério, fica de boa e veja quais são as atitudes dele, porque palavras bonitas todos dizem, demonstrar só aquele que quer estar com você de verdade.

Caso 2: Você conhece um dito cujo. Ele adiciona o seu perfil e você vê que não há declaração de status.
Aqui também temos duas opções, ou ele já tem alguma peguete e está quase em um relacionamento sério, ou ele tem um relacionamento sério apenas não declara porque é um tremendo cafajeste e pega outras. De todo jeito, vigie os recados dele uma hora ou outra a peguete ou namorada vai mandar um recado comprometedor que te fará descobrir a verdade. Mas pode ser que ele seja solteiro mesmo e esteja à procura de alguém interessante.

Caso 3: Você conhece um dito cujo. Ele adiciona o seu perfil no inicio o status é solteiro, depois muda tira o status de relacionamento para não declarado.
Primeiro não pense que ele mudou por causa de você. Se ele era solteiro antes é porque ele continua solteiro e, portanto não te deve fidelidade. Vocês só ficam. Concluiu-se que ele ainda tem muitas por ai. A mesma chance que tem em ser por causa de você tem a Maria do Bairro, Maria Mercedes, a Marimar....e assim vai. Neste caso é melhor não vigiar os recados, porque há muitas chances de você descobrir as outras dele e sofrer vendo que você não é a única e que ele tirou não foi por causa de você. Também é provável que seja só mais uma tática para enganar todas, afim de que acreditem que ele quer algo sério. O que se fosse verdade não estaria solteiro. 

Caso 4: Você conhece um dito cujo. Ele adiciona o seu perfil status é casado.
Se vocês já tiverem ficado no mínimo é uma piada. Não é possível que exista alguém tão burro para adicionar a outra em redes sociais estando casado.  Se descobrir que é verdade sinta-se triste pela esposa dele e não volte a ver-lo novamente. Agora se vocês nunca ficaram leve em consideração que ele pode estar querendo só sua amizade mesmo (eu duvido muito disso, mas não custa dar um crédito), se ele insistir em te ver tenha certeza que ele não presta. 

Caso 5: Você conhece um dito cujo. Ele adiciona o seu perfil status namorando.
Esse caso não tem a história de que pode ser brincadeira. Para colocar namorando é porque o dito cujo está mesmo em um relacionamento sério. Se vocês já ficaram caia fora que ele não vale nem uma moedinha de 1 centavo.  Apesar de que nesse caso eu duvido que ele adicione alguém que ficou. Assim só posso pensar que quem adicionou foi você. Nesse caso se ele te aceitar ele é um tremendo cara de pau. Caia fora de todo jeito.

Como disse são só teorias infundadas! Pode ser ou não verdade. Não tem nenhuma verdade cientifíca comprovada. A uma grande probabilidade de tudo não passar de devaneios....

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Aaaaahhhh!! O Carnaval....



Faltam 5 dias para o carnaval. Se vocês me perguntarem se vou pular carnaval? A resposta é única: óbvio! Esse ainda será meu ultimo carnaval como universitária e tenho muito que aproveitar esse ano, tudo é o último como universitária.

O carnaval é apenas uma festa prolongada por 5 dias. E como se você pegasse aquela festa boa que adorou e eternizasse por cinco dias seguidos. Alguns acham que o carnaval é só mais um feriado, outros aproveitam para extravasarem fazer de tudo que acham que não pode durante o resto do ano. No meu caso vivo o carnaval como outra festa qualquer, não faço nada que não faria. Não sou hipócrita de mudar meu comportamento só porque é carnaval. 

Tentei pensar em algo para escrever no blog, alguma história dramática de carnaval.  Fiz minha pesquisa no meu diário (Sim! Eu tenho um desde os 8 anos). O estranho é que não escrevi nada sobre nenhum dos dois carnavais que eu já vivi. Tive que optar pela a única opção que sobrou: minhas lembranças. O que não adiantou muita coisa. Isso porque o meu primeiro carnaval foi há 3 anos e desde esse carnaval já vivi muitas histórias. Custo a lembrar das festas recentes, imaginas as que foram há 3 anos. 

Lembro da minha amiga louca, alucinada no primeiro dia de carnaval porque bebeu umas bebidas estranhas, bem, eu avisei do risco. A outra que você só tem a presença dela na primeira hora da festa, depois você pode dar a sorte de encontra – lá, no fim da festa. Da confusão que você apronta no próximo dia. Por alguma razão você interpretou algo errado que seu amigo disse e você já está mandando um e-mail, ou melhor, um livro virtual dramático para ele.  As pessoas que vivem na mesma cidade que você, mas que só o carnaval juntou.  A pessoa que você conheceu e sentiu que vocês tinham tudo a ver, mas infelizmente a distância é grande para se ter algo com a pessoa, denomino isso de amor de carnaval, tudo acaba com a última música na manhã de quarta de cinzas. 

São incontáveis os dramas de carnaval. Poderia ficar horas enumerando. Tudo me faz pensar que, esse carnaval vai ser o melhor de todos. Com as pessoas certas, companheiros de longa data, o ambiente pode ser o pior, bagunçado, cerveja quente, falta de vodka, mas vocês se divertem, aprontam, tudo é motivo de piada. No fim o que importa é estar com seus amigos o resto é lucro.

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Prosa Dramática: Porque não existe zona para mulher?




Já pensaram porque não existe zona pra mulher? Ou melhor, já reparam que só existe zona para homem? A questão controvertida surgiu a partir de uma conversa com outra Maria Dramática:

“Eu perguntei se na festa ia ter uns amiginhos para a gente. Ele me mandou ir para zona.” Contei sobre a conversa com um amigo.
“Fala para ele que quem vai pra zona é homem.”
“Nem existe zona para mulher! Preconceito, não?”- disse indignada.
“Porque pagar se conseguimos de graça”
“Eles também não precisam pagar”
“Alguns só pagando mesmo”
“Nem é assim, existe tampa da panela para todos.”
“Mas essa história de tampa da panela não é de amor? Não tem nada a ver com sexo.”
“Eu quis dizer que existe gosto para tudo. E outra coisa quem ama faz sexo...”
“O homem pensa bem diferente. Não precisam amar a mulher para transar.”
“Mulher também não.”
“A maioria das mulheres não transam com o cara por necessidade, o que é o caso deles, às vezes.”
“Eu conheço algumas mulheres que transam só por transar! Isso está mudando muito.”
“Eu disse a maioria, ainda é a maioria. Alguns anos nada se sabem.”
“Seria um bom empreendimento. Montar uma casa de massagem só para mulheres. Como ninguém pensou nisso ainda?”- Começou a sessão de gargalhadas da minha ideia.

Eu acho minha ideia pertinente. Ainda com o crescimento acelerado do mercado gay dá para fazer dois ambientes, aproveitando a versatilidade que os produtos oferecidos. O lucro é certo.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Melô-drama: O impossível é encontrar o amor sem a razão




Estava nervosa, não tinha dormido bem pelas mesmas razões do meu nervosismo, mas que não convém comentar. Quando isso acontece surge em mim uma energia desconhecida, fico ativa ao máximo e para evitar sair brigando com todos compenso nos exercícios. Esse dia não foi diferente. Fui para academia, a raiva não passou. Fui caminhar, o que não adiantou também. Tive que apelar para segunda opção ouvir música. Quando ouvi a música Só os Loucos Sabem- Charlie Brown Jr um trecho me chamou a atenção:

“Eu segurei minhas lágrimas, pois não queria demonstrar a emoção,
Já que estava ali só pra observar e aprender um pouco mais sobre a percepção,
Eles dizem que é impossível encontrar o amor sem perder a razão,
Mas pra quem tem pensamento forte, o impossível é só questão de opinião”

A letra me fez perguntar o que é melhor, agir pela emoção ou pela razão? Precisamos perder a razão para encontrar o amor? Depois de alguns neurônios fritados e de uma pequena pesquisa de campo com os amigos cheguei a uma conclusão.
Há momentos na vida que agimos com a emoção. Deixamos dominar pelo nosso coração e a fase em que erramos. A parte boa é que aprendemos com os erros. Depois de muitas pancadas da vida, você pensa antes de cometer alguns deslizes. Colocam na balança os prós e os contras de suas atitudes, dependendo onde a balança cair, decidirá o que fazer. Isso seria agir com a razão, saber as conseqüências que sua decisão pode levar e se está preparado para lidar com elas.

Nos relacionamentos, também funciona desse jeito. Depois de errar muito e aprender com eles. Você aprende a analisar a situação e tomar a decisão certa. Num certo momento você cansa de achar que depende de você para dar certo. Os seus pensamentos que antes eram “o que fazer para o dito cujo gostar de mim? estou fazendo algo de errado? o problema é comigo?”, mudam para “eu sou assim, me ame do jeito que sou, com meus defeitos e qualidades, não vou mudar meu jeito por você. Se não pode me aceitar assim, para de desperdiçar o meu tempo que vou achar quem me ame pelo que sou”. Você quer estar com alguém que te ame pelo que você é. O impossível que era encontrar o amor sem perder a razão se transformou no impossível de encontrar o amor sem a razão.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

O futuro incerto e não sabido




O primeiro dia letivo foi um pouco desanimado. Você chega empolgada para assistir aula quando tem notícia que em São Paulo está acontecendo um dilúvio e que não será transmitida sua aula. Deveriam descontar os 5 reais do meu ônibus na mensalidade. E entre nós a passagem de ônibus aqui em Uberlândia está uma exploração R$2,40!?!? Até o fim da semana já pagaria a minha festinha open e até o fim do mês aquela festa top que você quer tanto ir.
Você olha no relógio. O que te deixa mais animada. Por que se der uma apressadinha ainda chega a tempo de assistir o final da novela. Depois você vai para faculdade. Estou no quinto ano, vou ter aula todos os dias, nada de professor malandro e ainda está no topo, no prédio mais alto, na torre mais alta do bloco. Engano seu meu caro. Descobre que já no primeiro dia de aula um professor faltou que não terá aula de Processo de Trabalho, mas uma pregação evangélica. Você acha que basta!
 Espere o segundo dia. Verás o retorno do seu professor do primeiro ano. O mesmo que não dava aula porque quebrou um dedinho na mão e de alguma forma misteriosa afetou suas cordas vocais durante uma semana.  Só para não sair da rotina já avisa que não dará aula o resto da semana. Nota que nada mudou entre o primeiro ano e o quinto ano.
 A mudança do inicio da faculdade para o ultimo ano foi tão sutil que ainda te fazem a mesma pergunta: “O que você pretende fazer quando formar?”. No primeiro ano respondia que ainda tinha 5 anos para decidir, e isso satisfazia as pessoas. Os 5 anos passaram.  A resposta não mudou. O meu futuro continua incerto e não sabido. A única coisa que mudou foi o prazo. Agora tem menos de 1 ano para decidir.
A sensação de que sua vida precisa de um rumo continua a mesma, mas agora você não quer pensar nisso. Pensou nisso por 4 anos e não chegou à lugar algum. Quer apenas viver os momentos desse ano como se fossem os últimos da sua vida. Mesmo sabendo que alguns vão se repetir, porém até lá estará em outra fase da vida. E no fundo sabe que essa, na qual já sente falta, daqui alguns anos vão te trazer a certeza de nenhum arrependimento porque viveu todos os momentos intensamente.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Bye, bye....



Último final de semana das férias. Ele não poderia ter sido diferente dos outros. Divertido e engraçado. Sair para beber com os amigos não tem preço. Acordar com uma ligação noturna quando você está no sétimo sono tem, a cabeça de quem te ligou. Se forem seus amigos bêbados, aqueles que acabaram de sair da festa com você chamando para fazer uma viajem que parece absurda naquela hora da noite temos relações de amizades cortadas. 
No início acha que é apenas um trote. Às 7hs da manhã você acorda com uma ligação inesperada dos mesmos amigos. Ainda meio zonza de sono, acorda pensado o que eles querem a essa hora da manhã. Você não acredita quando eles dizem que realmente viajaram. “Não vocês não foram, mentira, duvido, para de zoar da minha cara, fala logo onde vocês foram ontem?”, você questiona seus amigos. Depois de estarem 24 horas ligados você assusta com a seguinte pergunta: “Vamos para o clube?”. Que bateria duracell é essa. Os seus amigos chamando para ir ao clube essas horas da madrugada e eles ainda viraram o dia, você não acredita no que está ouvindo. Minutos depois depara com os seus amigos já na porta da sua casa. Achava que seus amigos eram doidos, insanos, agora tem certeza. No final o único trote da história é lembrar que no outro dia você tem que acordar cedo. Sem a sua novela à tarde, sem o bar no fim do dia, apenas a agitada vida de estudo do seu último ano de faculdade. E o triste fim das suas últimas férias como universitária, resta apenas dizer bye, bye...

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Plantão do Drama: Sopa de Letrinhas




Às vezes eu misturo as palavras e as letras. Posso ler a mesma mensagem mil vezes que eu vou entender errado. Elas vêm como numa sopa de letrinhas, todas misturadas e de repente se organizam na minha mente da forma que eu quero. Um sim pode virar não, ou apenas sumir. O ponto de exclamação vira interrogação. E ainda consigo troca um simples M pelo S. Isso acontece em qualquer lugar ou com qualquer meio de comunicação. Eu vou ler errado nas primeiras vezes e só vou ver o sentido real depois que responder.  Acontece que depois, quase sempre, a minha resposta não faz sentido nenhum. Sim, entendi errado e respondi mais errado ainda. Afinal a diferença entre a exclamação e a interrogação é só a curva do ponto.